FRONTEIRAS XXI

Grato, e ainda a digerir o turbilhão que vivi ontem na hora e meia que desenhei em directo no programa FRONTEIRAS XXI: # a novidade de juntar em simultâneo a mesa de trabalho íntima e familiar com o público mais vasto para quem já desenhei ao vivo. # habituado a desenhar em diálogo com o trabalho de outros artistas, tive de tactear para encontrar lugar no meio do discurso de peritos-comentadores – a opção foi deixar-me levar pela corrente, parando de vez em quando para o desenho poder respirar. # perceber que a maior parte das pessoas fica de fora nas conjeturas pensantes de quem pode teletrabalhar (como eu) e que essa obliteração é encarada como um dano colateral inevitável na marcha em direção a um futuro.

exposição EU ESTIVE AQUI

Inaugurou hoje, no festival Évora Urban Village, a minha exposição EU ESTIVE AQUI. Caixas/diorama e escritos de parede constroem um A a Z do graffiti. Na Galeria W52 mesmo na Praça do Giraldo.

começo | beginning

No Museu do Côa, com o Filipe Raposo e a Ana Brandão – abraçados pela  confluência de dois rios –  a fechar o Festival Somos Douro e a começar uma viagem que nos próximos anos que me levará, com o Filipe, à procura do nascimento da arte, ou seja, do nosso próprio nascimento.
In the Côa Museum, with pianist Filipe Raposo and singer Ana Brandão – embraced by the confluence of two rivers – closing the Festival Somos Douro and starting a trip that will take me in the next years , with Filipe, looking for the birth of art , that is, our own birth.

calendário

A APCC – associação para a promoção cultural da criança – publica todos os anos um calendário ilustrado. Depois da Danuta Wojciechowska, André Letria, Alain Corbel, Maria Keil, Manuela Bacelar, Madalena Matoso, Teresa Lima, Bernardo Carvalho, João Fazenda, André da Loba, Marta Madureira, Yara Kono e Catarina Sobral, chegou a minha vez. Com o design irrepreensível do atelier Silva!

calendario

na festa da ilustração de Setúbal

na próxima sexta-feira (2 junho), à meia-noite, começa a FESTA DE ILUSTRAÇÃO DE SETÚBAL e, como desenhador convidado deste ano, inauguro na CASA DA CULTURA um conjunto de exposições: SUBWAY LIFE (ampliações à escala humana e, pela primeira vez, também os cadernos originais), A MINHA CASA NÃO TEM DENTRO (desenhos e aguarelas do livro mais recente), DESENHOS EFÉMEROS (documentando os espectáculos de desenho performativo) e ainda uma intervenção directa na parede (que será surpresa, até para mim). Para completar, farei um pequeno momento de desenho digital ao vivo, com quem lá estiver. Até lá.

eu2016