2 comentários a “coisas estranhas acontecem no meu caderno | strange things happen in my sketchbook

  1. Luisa Miguel

    Olá António – pretendo felicitá-lo pelo seu blog que acabei de conhecer – e que me impressionou grandemente pela grande qualidade e extrema originalidade das suas crições artísticas mas também, queria dizer-lhe que adorei ver o vídeo sobre “Live Digital Drawings”. Nunca tinha tido oportunidade de contactar com uma forma de arte tão dinâmica e bela. Muito obrigado por partilhar as suas criações online. Posso fazer-lhe uma pergunta antes de terminar: Costuma associar-se a pessoas de outras areas de intervenção para colabarem em projectos artísticos? Luisa Miguel

  2. Rui Rodrigues

    Olá António! Coisas estranhas acontecem no teu caderno e no programa do Nicolau Breyner! Acho que nunca presenciei uma censura tão grande, óbvia e mesquinha, a uma pessoa, por se ter expressado livremente, como aconteceu contigo. Ainda por cima por dois supostos artistas (o Nicolau e o José Raposo). Estava a ver a entrevista ao Paulo Portas e estava estupefacto com o discurso dele, tão construido e com tanta intencionalidade, até nos mais pequenos pormenores, como aquele erro do “Fiat Corsa” (que a meu ver, é uma forma de ele se afastar gentilmente da classe pobre, pois nem sabe distinguir um Opel dum Fiat – ele, que se autointutula defensor do povo rural e tal…). Todo o discurso dele foi feito para alcançar a admiração dos ouvintes, ele não quis dar nada, apenas receber o voto/confiança das pessoas que o escutavam. Todas as paragens, entoações, histórietas, tudo!, feito para impressionar e enganar. E depois surgiste tu, e com uma análise brutal, muito precisa e sem ser violenta, apenas esclarecedora, desmascaraste aquela mentira! O Nicolau, furioso!, caiu logo no clichê de dizer que o artista é tímido e não consegue falar em público, insinuando assim, que por falares claramente, é porque não és artista e serias só mais um charlatão. Muito baixo da parte dele. Quanto a ti, sempre calmo e sereno, querendo sempre apenas partilhar aquilo que aprendeste ao longo da vida, sem querer receber louros por isso, ao dizeres-lhe que já foste tiveste essa tal incapacidade para se expressar por palavras, mas que a vida te permitiu crescer e mudar, foi uma luz inspiradora para mim! =) Que resposta brilhante, acima de tudo porque me pareceu realmente sincera, e sendo assim, como “what a man can do, another can do”, senti-me motivado a viver e aprender e também um dia me conseguir exprimir livremente… Mas se a atitude hostil do Nicolau me estava a deixar de boca aberta, por estar a ver um caso de censura explícito, quando interveio o João Raposo senti uma raiva tremenda por todos estes vendidos! Também ele entrou em todos os clichês para tentar menosprezar a tua pessoa, desde o dizer mal as tuas variadas actividades, até ao clichê dos artistas serem gays, quando disse que teve um caso contigo. Ele esqueceu-se que ao querer humilhar a tua “classe” (artista), humilha a sua, o que só prova que de artista ele não tem nada. Talvez já tenha tido, mas ali demonstrou ser um vendido. Um actor como ele, com tantos anos de experiência, não sabe dizer “cenógrafo”?! (só para dar o exemplo!). Este tipo de humor e atitude, tentando tirar crédito à tua pessoa, foi do mais nojento e repugnante que já vi! A mim tocou-me pessoalmente, porque estava realmente a gostar de te ouvir. Ao contrário da maior parte das pessoas que oiço falar, que, tal como o Paulo Portas, falam, não para dar, mas para receber. Tu pareceste-me exactamente o contrário. A honestidade e humildade com que estavas disposto a partilhar as tuas experiências/conhecimento, não querendo sobrepor o teu ego ao dos outros, é admirável. Mas parece que isso não se adequa à mentira que é a sociedade, sobretudo a a televisiva/mediática… Tenho que dizer que não te conhecia, nem a tua obra, mas agora encontrei o teu blog e vou explorar. Não li/vi o Subway life, mas o conceito e a intenção, são inspiradores. Pois concordo contigo quando dizes que um homem a partir de um certo momento procura sempre mais do mesmo, e então partiste à descoberta e foste desenhar pessoas por esse mundo fora! Incrível! Muitos parabéns! Gostava de te ter ouvido falar mais, mas infelizmente o Nicolau estava com pressa para ir beijar os pés à actriz a quem todos beijam os pés, porque isso lhes deve trazer algum tipo de prestígio social!

    Um grande Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *